Roberto Carlos faz história no IMPRO, como 1ºservidor aposentado a comandar a autarquia

O servidor de carreira, Roberto Carlos Correa de Carvalho e diretor executivo do IMPRO escreveu seu nome na história de quase 25 anos do Instituto.

O fiscal de obras e postura, com quase quarenta anos de carreira, fechou um ciclo como trabalhador municipal iniciado ainda na década de 80 e se tornou o primeiro aposentado a administrar o IMPRO. “O serviço público foi essencial na minha formação. Servi a sociedade de Rondonópolis com muita satisfação e disposição de fazer o melhor pelo meu município. Cidade onde formei família, criei minhas filhas e fiz grandes e queridos amigos. Obrigado a todos companheiros que me ajudaram nesta trajetória. Agora minha dedicação é toda para o IMPRO, até julho de 2024”, detalha.

Roberto está no IMPRO desde julho de 2015. O atual mandato termina em 1º de julho de 2024. “Fui eleito e reeleito democraticamente para o cargo. Vou cumprir minha obrigação até os últimos minutos que a lei exige. Estou nos últimos meses da minha gestão e graças a Deus vou entregar o IMPRO, para meu sucessor, bem maior do que quando cheguei. O IMPRO hoje é superavitário, tem a melhor regra de aposentadoria do Brasil e um dos menores tempos de espera para concessão de benefícios. O resultado desses quase 9 anos de gestão ultrapassou todas as metas estabelecidas por nossa equipe. Hoje o IMPRO é um dos maiores RPPS de Mato Grosso”.

O gestor afirma que deixa o cargo na instituição no meio do ano, mas seguirá discutindo e lutando pelo serviço público e pela sociedade de Rondonópolis. “Já temos um planejamento que será colocado em prática assim que nosso sucessor assumir o IMPRO. Vamos continuar do lado do IMPRO e do Sispmur na defesa do servidor. Vou participar ativamente das discussões que envolvam os interesses da população de Rondonópolis. Ainda é muito cedo para pendurar as chuteiras, tenho muita lenha para queimar”, brinca.

Números

O IMPRO fechou o ano de 2023, com patrimônio líquido na casa dos R$ 350 milhões. Em 1º de julho de 2015, o montante era de quase R$ 124 milhões. Em menos de 9 anos, a alta é superior a 180%. É a maior valorização das mais de duas décadas de história do IMPRO.

O atual patrimônio líquido do IMPRO é suficiente para quitar todos os pagamentos previdenciários até a década de 40.