Roberto Carlos convida servidores, conselheiros, aposentados e pensionistas para apresentação do Cálculo Atuarial e Plano de Custeio 2023 do IMPRO

O IMPRO – Instituto Municipal de Previdência de Rondonópolis apresenta nesta quinta-feira (29), às 14 na Câmara de Rondonópolis, o novo Cálculo Atuarial e Plano de Custeio 2023 do IMPRO.

O Cálculo Atuarial reúne informações fornecidas pela unidade gestora do Regime Próprio de Previdência Social – RPPS relativas às características biodemográficas e administrativas da massa de segurados, associadas às demais informações de ordem financeira e administrativa do órgão, além de propor equilíbrio econômico para o Instituto.

A apresentação do estudo atualizado, será na sala de reuniões do legislativo, com presença da diretoria do IMPRO, Conselho Curador e Conselho Fiscal da entidade e Sispmur. O diretor executivo do IMPRO, Roberto Carlos Correa de Carvalho, conta que todos os vereadores, secretários municipais e chefe do executivo foram convidados oficialmente. “Gestão se faz com transparência! Gostaríamos da presença de todos os 21 vereadores, dos secretários municipais, prefeito e vice. O que vamos divulgar é uma rotina que fazemos desde o início da nossa administração, que é apresentação do Cálculo Atuarial e Plano Custeio com participação de todos os poderes e também dos servidores. Convido também os amigos servidores, aposentados e pensionistas para prestigiaram a reunião. O IMPRO estará disponível para prestar todos os esclarecimentos necessários”.

A avaliação, que é realizada anualmente pelo IMPRO, vai expor mais uma vez uma preocupação da administração da autarquia. O município de Rondonópolis conta com menos de 1.900 servidores efetivos em atividade e mais de 1.020 aposentados ou pensionistas. São menos 2 ativos para um 1 inativo. A proporção considerada segura seria de 5 ativos para 1 inativo. “A solução para esse problema é um concurso público amplo, para todas as áreas. É preciso uma reposição imediata de pelo menos mil novos servidores. É válido lembrar que quanto maior a quantidade de trabalhadores municipais de carreira, menor é o repasse previdenciário da Prefeitura para o IMPRO”, completa Roberto.