IMPRO paga periculosidade integral de vigilantes do Instituto

O IMPRO pagou o adicional de periculosidade dos vigilantes que trabalharam no órgão. Os servidores do Instituto, na função, receberam as diferenças salariais integrais.

Dessa forma os ex-vigilantes Maria Rosa de Jesus Ribeiro e Gerfesson Francisco de Souza, que trabalharam no IMPRO até o final de 2016 ganharam o adicional remuneratório de 30%, incidido no salário base e de forma retroativa. “O IMPRO aguardava o posicionamento da justiça para legalizar o pagamento dos nossos dois colegas. Com o reconhecimento, fizemos todos os tramites necessários e tratamos tudo direto com os servidores, sem qualquer intervenção de terceiros. Assim, eles conseguiram acompanhar todas as partes do processo até a conclusão”, explica do procurador do IMPRO Danilo Ikeda.

O reconhecimento administrativo, sem incursão judicial, com a confirmação de pagamento integral é inédito no município de Rondonópolis. “Esses pagamentos eram cobranças antigas dos dois servidores. Nós queríamos pagar, o que faltava era a certeza jurídica. Quando isso aconteceu pedi empenho total da nossa diretoria, para que todos as fases do processo fossem cumpridas dentro do prazo e assim foi feito”, comenta Roberto Carlos Correa de Carvalho.

O pagamento retroativo e integral dos dois ex-vigilantes foi realizado no dia 14 de agosto.