Em seis meses mais 500 pessoas são qualificadas com palestra sobre reforma de Previdência

A diretoria do IMPRO – Instituto Municipal de Previdência Social dos Servidores de Rondonópolis contabilizou os números das palestras sobre reforma da Previdência Social, ocorridas de janeiro até o junho. De acordo com os dados atualizados, cerca 530 pessoas já assistiram as explanações ocorridas em várias instituições.

O procurador do IMPRO e especialista em legislação previdenciária Danilo Ikeda explica que o número expressivo relata a preocupação com a proposta, que segundo ele afeta de forma aguda servidores públicos e os mais pobres. “O texto original deixou muita gente aflita. Entendo que faltou mais discussão para formulação desta redação. A sociedade poderia ajudar a montar um projeto mais justo. Do jeito que estava, servidores públicos, trabalhadores rurais e pessoas de baixa renda seriam os mais sacrificados. As mudanças realizadas pelo relator da proposta da PEC, deputado Samuel Moreira amenizaram um pouco, mas ainda existem pontos polêmicos. Essas atualizações passamos em nossas palestras. É nosso dever informar e tirar dúvidas sobre o que está acontecendo. É o futuro de milhões que está em jogo”.

Palestras

O trabalho de esclarecimento sobre Previdência Social é um projeto de iniciativa do IMPRO, que começou em 2016. “Esse projeto começou nas escolas municipais de Rondonópolis. O interesse público cresceu, órgão de outras esferas começaram a ligar e pedir as palestras. Estamos a disposição para atender”, completa Roberto Carlos Correa de Carvalho.

Atualmente as palestras são realizadas em escolas municipais, estaduais, repartições públicas, seminários, UFR e também para instituições de ensino privadas.

PEC da Previdência

O texto original da Proposta de Emenda Constitucional da Reforma da Previdência prevê mudanças nas regras para trabalhadores do setor privado e servidores públicos. Após a tramitação e análise pelo legislativo, a votação deve acontecer em 120 dias.

Como é uma PEC, o projeto precisa de no mínimo 308 votos na Câmara Federal e 49 no Senado. As votações, nas duas casas, acontecem em dois turnos.