Diretoria do IMPRO procura direção do INSS e MT Prev para agilizar liberação de certidões

A diretoria do IMPRO – Instituto Municipal de Previdência Social dos Servidores de Rondonópolis – IMPRO e o servidor público Edson Wander Pina da Silva estiveram na segunda-feira (26), em Cuiabá, na sede do MT Prev e da superintendência do INSS de Mato Grosso.

No órgão estadual a comissão de Rondonópolis foi recebida pelo gerente executivo do INSS, Odair Egues e pelo coordenador de Certidão de Tempo de Contribuição, Torreszome Júnior. O gerente de benefícios do IMPRO, Fábio Lima argumentou que alguns servidores do município possuem vínculo duplo com município e Estado. Parte dos trabalhadores, que se enquadram neste cenário, esbarram na burocracia para retirar CTC-Certidão de Tempo de Contribuição pelo Estado. Situação, que em alguns casos provoca a demora no processo de aposentadoria do servidor. “A conversa foi muito boa. Explicamos que com autorização do MT Prev temos condição de liberar a certidão estadual pelo IMPRO. Fizemos uma proposta para uma parceria. A diretoria do MT Prev vai analisar a ideia e depois informar para o IMPRO. A expectativa é para um sinal positivo do Estado”, conta.

A segunda reunião do dia aconteceu na superintendência do INSS. O encontro foi presidido pelo     chefe do serviço de benefícios da gerência do INSS em Cuiabá, Thompson Queiroz de Campos. No órgão federal, o IMPRO debateu o acesso desburocratizado ao CNIS- Cadastro Nacional de Informações Sociais. O documento informa todos os vínculos, remunerações e contribuições previdenciárias do trabalhador. “Temos casos que no CNIS do funcionário só aparece contribuições da Prefeitura e nada mais. Isso influencia na aposentadoria da pessoa. Com acesso direto ao documento teremos mais agilidade para resolver a situação dentro do próprio IMPRO, o servidor não precisará agendar um horário no INSS, esperar dias e até meses para ser atendido. Poderemos despachar tudo pelo IMPRO. Estamos negociando essa pauta há muito tempo e nesta oportunidade conseguimos avançar. Agora é aguardar um retorno do INSS”, comenta Roberto Carlos Corrêa de Carvalho, diretor executivo do IMPRO.