Depois de quase 30 anos de colaboração, servidora municipal conquista aposentadoria

A servidora de carreira Maria Aparecida Pereira dos Santos, 56 é a mais recente funcionária do município aposentada pelo Instituto Municipal de Previdência dos Servidores de Rondonópolis (IMPRO).

 

A pedagoga passou a integrar o quadro de aposentados e pensionistas do Instituto, no dia 1º de junho.

 

Maria Aparecida entrou no serviço público municipal em 1989. A educadora começou sua carreira na Escola Municipal Princesa Izabel. Sua presença na unidade foi fundamental para o local. A professora montou um projeto de construção e ampliação do prédio e conseguiu a obra.

 

Em 1993 foi transferida para a Escola Municipal Edivaldo Zuliani Belo, o mesmo ano em que a escola foi inaugurada. Por lá ficou até o mês de maio de 2017.

 

A mais nova aposentada do IMPRO só não completou 100% de sua vida pública nas escolas por que dedicou 7 anos do seu trabalho para o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Rondonópolis (Sispmur). Sempre na diretoria sindical, Maria Aparecida promoveu um trabalho de reestruturação na entidade. “O Sispmur passava por uma grave crise financeira, chegamos a ficar até sem sede. Mas com muita luta vencemos o desafio e devolvemos o respeito a um dos principais sindicatos de Rondonópolis. Tenho muito orgulho daquele tempo. A diretoria não media esforços para ajudar os servidores”, conta.

 

Depois de contar um pouco do passado de destaque, Maria fez questão de agradecer a atenção que recebeu do IMPRO. “Desde a primeira vez que fui até o IMPRO para contar meu tempo de contribuição fui muito bem recebida. Nos últimos meses estava ansiosa pela aposentadoria, ligava quase todos os dias lá e eles sempre atendiam com atenção e muito respeito. Na hora de explicar os cálculos passaram tudo com exatidão. Só posso agradecer e deixar um muito obrigado a todos do IMPRO”, destaca.

 

Nova carreira

 

A educadora se considera aposentada apenas pelo município. Garante que dentro de pouco tempo estará de volta ao mercado de trabalho. “Estou na metade do curso de direito. Agora com tempo, vou terminar a graduação que era um sonho de criança e exercer a profissão. Espero que por muito tempo”, finaliza.