Eleições adiadas para o fim do ano

Foi publicado no Diário Oficial do Município, com a data de 26 de março de 2021, a confirmação da promulgação da Lei Nº 11.330, de 24 de março de 2021.

A nova lei estabelece que o mandato da atual diretoria do IMPRO, dos Conselhos Curador e Fiscal e o processo eleitoral para a escolha da nova diretoria foram prorrogados até fim de ano.

A redação justifica a medida como necessária, devido a pandemia que segue com números alarmantes. “Pelo calendário normal, a eleição do IMPRO deveria acontecer até o mês de junho, mas com o vírus circulando e a falta de garantias que todos os servidores estarão vacinados, em até 90 dias, foi necessário o pedido de adiamento das eleições e prorrogação dos mandatos”, explica Roberto Carlos Correa de Carvalho, diretor executivo do IMPRO.

A prorrogação começa no dia 30 de junho e segue até 31 de dezembro. Uma nova data para a eleição será anunciada no segundo semestre deste mesmo ano.

Roberto frisa que a mudança na lei que garantiu a prorrogação dos mandatos é fruto da união entre servidores, legislativo e executivo. “A presidente do Sispmur, a senhora Geane Lina Teles, nos procurou para debater a questão. Ela, assim como todos do IMPRO, estava preocupada com a segurança sanitária da eleição em junho. Concordamos de imediato com o adiamento e junto com a Jacilene Santos Silva, diretora executiva do Serv Saúde, que também está no período eleitoral, formamos um grupo para discutir o problema”.

Depois de conversar com as duas entidades, o Sispmur convocou no dia 17 de março, uma assembleia online. A reunião ocorrida às 19h, passou a proposta de adiamento das eleições e prorrogação dos mandados.

Os servidores tiveram oportunidade de votar, por meio de um aplicativo. Mais de 600 trabalhadores votaram e 95% optaram pela prorrogação dos mandatos e adiamento das eleições. Após expor a situação dos servidores e conseguir aprovação quase unanime da categoria, foram produzidos dois projetos de lei, com o mesmo pedido, um para o IMPRO e outro para o Serv Saúde.  ”Conseguimos o apoio da Câmara, intermediado pelo presidente da casa Rony Magnani e do servidor público e vereador Reginaldo Santos. Todos os outros parlamentares foram sensíveis aos dois projetos de lei. Agradecemos também ao bom senso do prefeito José Carlos do Pátio, por compreender o momento e promulgar a lei. O servidor unido representa com muita mais força uma categoria. Seguimos juntos e falando a mesma língua, pelo bem dos servidores municipais de Rondonópolis”, completa Roberto.