Consultoria apresenta cálculo atuarial do IMPRO, elogia gestão e destaca importância do concurso público

A Atuarial Consultoria, apresentou na manhã de quarta-feira (20), na sede do Sispmur o relatório do cálculo atuarial do IMPRO. Os números foram demonstrados na sede do Sispmur, pelo atuário e consultor de investimentos Igor França Garcia.

O evento contou com a presença das diretorias do IMPRO, Sispmur, Serv Saúde, representantes dos conselhos do IMPRO, da Prefeitura Fernando Ferreira Silva Becker – Secretaria Municipal de Gestão de Pessoas, Rafael Mandrácio Arenhardt – Secretaria Municipal de Planejamento e da Câmara, a vereadora Kalynka Meirelles.

Os presentes observaram que a autarquia segue com solidez e com viabilidade financeira. O patrimônio líquido segue gerando bons resultados. Mesmo com crise econômica mundial conseguiu valorização considerável. A poupança do servidor está próxima dos R$ 300 milhões. “O IMPRO faz o dever de casa. Existem várias Prefeituras pelo Brasil que vivem procurando meios para sanar as contas mês a mês”, explica o atuário.

A avaliação, que é realizada anualmente pelo IMPRO, mostra uma preocupação a longo prazo. O município de Rondonópolis conta com menos de 2.020 servidores efetivos em atividade e mais de 950 aposentados ou pensionistas. São quase 2 ativos para um 1 inativo. A proporção considerada segura seria de 5 ativos para 1 inativo.

A empresa responsável pelo cálculo, citou que vários municípios têm adotado a reforma da previdência para resolver problemas futuros de receita. Atitude que NÃO será tomada pelo IMPRO. “Não se pode resolver problema de receita com mudança de regra de aposentadoria. Isso fica bem claro na reforma nacional da previdência que não resolveu o problema da receita e penalizou milhões de pessoas. Em Rondonópolis, essa questão de receita se resolve com concurso público amplo”, explica o procurador do IMPRO Danilo Ikeda.

Roberto Carlos Correa de Carvalho, diretor executivo do IMPRO lembra que a falta de reposição de novos servidores gera impacto direto no IMPRO e Serv Saúde, instituições apresentadas em todo o Brasil como modelo de sucesso de administração pública, como também na sociedade. “Se não fizer concurso amplo nos próximos meses, com toda certeza esses dois órgãos sentirão e muito a longo prazo. Mas a sociedade também. O trabalhador efetivo conhece com maestria o ofício que já labora há um bom tempo e gera atendimento com muito mais qualidade. O cidadão já até sabe diferenciar quando é atendimento por um servidor de carreira ou não. Fazemos um apelo para que nossas autoridades destravem o concurso amplo. Não podemos mais continuar dessa forma”.

A presidente do Sipsmur Geane Lina Teles destaca que o sindicato encampou campanha salarial e pela realização de concurso público desde o início do ano. “Nós assistimos uma apresentação, com riqueza de detalhes que mostra de um lado o IMPRO realizando trabalho de excelência e de outro a gestão municipal colocando em risco o bem maior do servidor, que é a aposentadoria. O que precisa é de sensibilidade. Precisamos reequilibrar as contas, ampliar os quadros de servidores efetivos. Mas para isso é preciso concurso público, que estamos cobrando e buscando diálogo. É preciso acabar com o discurso político e imprimir responsabilidade nessa pauta. Não dá para aceitar um município do tamanho de Rondonópolis com número de comissionados duas vezes maior que o efetivo”.

O secretário municipal de Planejamento, Rafael Mandrácio Arenhardt, elogiou a metodologia adotada para explanação dos números e garantiu que as informações serão repassadas para administração pública. “Concurso é importante para manter o equilíbrio do instituto de previdência. O que tem que se trabalhar são as condições materiais para a realização desse concurso. A apresentação foi muito importante para ter um diagnóstico, muito bem detalhada, muito bem-feita. Com certeza essa mensagem vai chegar ao poder executivo”.